junho 28, 2012

APELO AO QUIXOTE


APELO AO QUIXOTE
Maximiano Campos


“Não deixes que a tua armadura enferruje.
Principalmente no peito, que é perto do coração.

Segura a espada, larga o escudo,
pois medo não é proteção.
Permita que o Sol bata na poeira
e o vento leve o sujo do aço que te cobre.

Na loucura, só na loucura, estarás liberto.
O teu mito é Sol, liberdade e céu aberto.”

Um comentário:

Um RIO! disse...

Sinceramente adorei o seu blog.
Sinto que tudo que aqui está escrito saiu realmente de seu coração, se não o foi, digo que com certeza saiu do meu quando li.
Lindas palavras reflexivas.

vidaermo.blogspot.com