dezembro 30, 2010

Receita de Ano Novo



Para você ganhar um belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano,
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior),
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens? passa telegramas?)

Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade

dezembro 28, 2010

Visita surpresa!


 
"Como é bom, inesperadamente, recebermos em nossa porta visitas de pessoas que amamos e admiramos. 
Pequenos instantes, grandes emoções."

Por: Hugo Otávio
Data: 28/12/2010

dezembro 27, 2010

Minha Loucura



Se eu só te quero é porque já enlouqueci...
E a minha insanidade me impede
Que eu conviva a sós comigo sem você
Porque o dia não me deu a graça de te enxergar?
De mirar por entre as brechinhas da minha vontade de te ter
Aquele sorriso que faz o sol nascer
Por aquele céu do teu olhar, iluminando meu viver...

Que o amor venha correndo me abraçar
Antes do inverno chegar
Antes que venha a tempestade
Que ele venha sem demora
Se puder que ele venha agora
Pois minha alma treme para que se faça presente
Que se faça passado e um futuro contente

Os meus sonhos já me rejeitaram
Não querem mais comigo se deitar
Só se forem acompanhados da tua lembrança
Que faz a minha alma suspirar
Mas será...será...
Eu nem sei mais onde fui nem onde vou
Sou guiada pelo vento que me leva ao amor
E por aquela brisa que mexe com o veleiro sem cor
Que faz em meu mar teu abraço de ardor

Seja o rio que desfaz o temporal
O calor que aquece aquele frio desigual
Que vem e torna as vezes...
Mas não e capaz de me deixar sem você
Seja aquele abraço envolvente
Que me embale numa valsa contente
Onde aqueles momentos pequenos
Tão rápidos...tão eternos...
Que deixaram as pegadas bem marcadas
Em cada parte do espaço e do tempo
Em cada pedrinha daquela estrada
Onde a gente caminha junto
E não sente a falta do nada...

Bruniele Souza
26/12/2010

dezembro 26, 2010

AbraçoS

Gosto do abraço apertado
Aquele de torar no meio,
Aquele que alcança a alma do outro,
Faz a expressão alheia suspirar...
Sair do plano das aparências,
Tornar-se real...

Agora...
Tem que ser sincero,
Nada de suspeitas pelas costas,
Contudo,
Transparente,
Límpido como as águas de um córrego,
Suave como a brisa solapando as ondas do mar...

AbraçoS,
Marcam o momento,
Tornam eternos sentimentos...
Portanto,
Abrace quem você realmente ama!
Nada é tão poderoso como o efeito de um verdadeiro e forte abraço!

Por: Hugo Otávio
Data: 20/12/2010


dezembro 25, 2010

Ingratidão, o mal de muita gente!


Ingratidão significa a falta de agradecimento, isto é, não valorizar, de certa forma, o que foi recebido de alguém. Escutei uma palavra que me marcou muito: " A ingratidão é o mal do século".
São tantos os males dessa terra, mas um ser ingrato é assustador. É como se tudo que foi feito em prol dele, em seu benefício, para ajudá-lo não tivesse sentido algum. Mas, sei o que você está pensando... Nós não devemos esperar algo de alguém para que possamos ajudá-lo, não é? É sim...
Mas, porque não agradecer por tantas coisas que temos recebido? Ou então, por pequenos gestos que permeiam o nosso dia-a-dia, seja um favor, um serviço prestado, enfim, porque somos tão frios de esquecermos pequenas grandes atitudes?

Pois bem, nunca devemos esquecer do que um dia fomos e daqueles que contribuíram para o nosso crescimento!

A realidade é que o crescimento de muitos encobre o que ficou por trás dos panos, nos bastidores da vida. E isso, porque a ingratidão impera, juntamente com o "esquecimento" da semente que teve que ser plantada, cuidada para que um dia germinasse, crescesse e pudesse produzir frutos.

Por isso, fuja desse mal! A ingratidão é maléfica para todos nós! 

Pense nisso!

Por: Hugo Otavio
Data: 25/12/2010


dezembro 23, 2010

Meus desafios para 2011!


Não sou de fazer votos pois nem sempre os cumpro, mas... 
Para o ano de 2011, pretendo:

1- Comprar uma agenda
Sempre tenho os meus compromissos guardados na memória, mas nada melhor do que tentar me organizar de uma maneira mais eficaz e produtiva.

2- Aprender a dizer NÃO
Em muitos momentos precisamos dizer NÃO, mesmo que as pessoas não compreendam naquele instante. Existe muita dificuldade em negar, já que quase sempre procuro tentar agradar o máximo as pessoas com as quais convivo. Pretendo mudar.

3- Valorizar quem realmente me valoriza
Como é bom poder dar valor a quem nos valoriza, de verdade! Com carinho e cuidado, devemos cultivar quem amamos e queremos bem.

4- Tentar me estressar menos
Difícil... Mas, tentarei...

5- Buscar mais a Deus
Como sobreviver se não for guiado por Ele? Basta acordar e respirar que Sua presença se faz viva e permanente! Buscá-Lo ainda mais é uma das metas de 2011!

6- Filtrar quem são os meus verdadeiros amigos
"Aguçar o faro" para perceber as sutilezas maléficas de quem não gosta da gente! Os tantos disfarces ocultam a verdadeira amizade, promovendo o interesse, ao invés da verdadeira essência do que é ser amigo.

7- Fugir de pessoas tóxicas
São aquelas que não querem te ver bem. Isso mesmo, procuram tolher sua liberdade, colocar você para trás, somente para satisfazer interesses pessoais. Na verdade, você é apenas o trampolim para a realização de meros desejos. Fuja de gente que não presta e que não quer te ver bem!

8- Buscar comprender as aflições do próximo
Ouvir é um dos primeiros passos para o bom êxito da compreensão. A boa comunicação envolve a dinamicidade, o carinho e a atenção a toda expressão e palavra expelida.

9- Evitar julgamentos
Juiz somente Deus! Por isso, é preciso restringir nossos julgamentos para as atitudes. Cabe a Deus julgar as pessoas.

10- Aprender a lidar com pessoas difíceis
Um dos mais complicados, na minha opinião. É conciliar, ser compreendido por pessoas difíceis. Espero que consiga...

Por: Hugo Otávio
Data: 23/12/2010


dezembro 21, 2010

Amigos*



Amigos gostam de estar juntos.


Amigos não tem segredos.


Amigos se protegem.


Amigos cuidam um do outro - e do interesse do outro.


Amigos não tramam pelas costas.


Amigos são totalmente confiáveis.


Amigos são um porto seguro.


Amigos se desentendem, mas nunca se odeiam, nem se deixam!


Amigos se amam, de verdade.


Amigos se socorrem.


Amigos não são amigos de nossos inimigos.


Amigos se contam nos dedos de uma mão.


Amigos são mais confiáveis que muitos parentes.
 
Geraldo Magela

dezembro 20, 2010

Um cordel sobre o Natal

Sensacional!
Apesar de algumas pequenas diferenças, achei brilhante a criatividade, principalmente na elaboração de cordel!
Parabéns aos criadores!



dezembro 19, 2010

Reminiscências de Outrora


Tive um sonho,
Nele estavam presentes amigos e colegas de outros tempos,
Num mix além do tempo,
Nas interconexões dos meus pensamentos...
Vislumbrava os semblantes,
Vivos,
Bem nítidos...
Parecia que eu os estava vendo, de verdade,
Mas, 
Não passavam de reminiscências,
Memórias,
Lembranças,
De um tempo bom,
Um tempo que indelével permaneceu
Vigoroso,
Tempos de Outrora...
Acordei!
Eram 7h 45min...



Por: Hugo Otávio
Data: 19/12/2010 

dezembro 16, 2010

Medicamentos? Só se extremamente necessários!

Não gosto de medicamentos! Nunca gostei! Apesar de ser amante da medicina, pretendo restringir o uso deles para casos realmente necessários e excepcionais. Acredito que o aumento no uso de tantos coloridos e diversificados deles advenha de uma qualidade de vida capenga, cambaleante, imediatista. Basta uma dor de cabeça e... se engole uma cápsula mágica! Mágica? Que nada... São inúmeros os constituintes que estão envolvidos na composição de determinada fórmula que percorrerá vários caminhos dentro do seu corpo, alterando o equilíbrio biofisicoquímico. Isso mesmo! E muitos deles, se tomados em excesso, poderá piorar ainda mais a situação pois reações adversas poderão surgir por conta dos maus usos dos medicamentos. Sem contar na grande resistência microbiana que tem surgido também pela exacerbação da ingesta de remédios e mais remédios. Se eu os uso? Claro que sim! Seria um mentiroso se dissesse que não. Se sempre? De jeito nenhum. É preciso moderação, assim como, manejo pleno aliado à uma boa qualidade de vida para que se possa desfrutar dela sem tornar-se um prisioneiro de cápsulas coloridas. Quanto menos usá-los, melhor! Porém, para toda regra existe exceção, é claro...

Por: Hugo Otávio
Data: 13/12/2010

dezembro 14, 2010

98 anos!



"Quando oiei a terra ardendo com a fogueira de São João
Eu perguntei, a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação? "

Não gosto de forró, a exceção do grande representante da nossa boa terra nordestina: Luiz Gonzaga que neste dia 13/12, completa 98 anos de história. Foram canções simples, mas arraigadas da tradição desse nordeste. E como esquecer a Asa Branca, não é? Quanta judiação sofrida por essa terra! Mas, que ficará eternamente na boca do povo a exaltação ao Nordeste Brasileiro!


Um trechinho para vocês!



dezembro 13, 2010

Naquela noite sombria...



NAQUELA NOITE SOMBRIA...
APÓS DELÍRIOS ENALTECIDOS,
VAGAVA A ESMO, COMO SE O VENTO ME DIRIGISSE DE VOLTA
ESTAVA FÚNEBRE, FRIA, SOB A LUZ DO LUAR...
ASSIM COMO MEU CORAÇÃO, ENEGRECIDO,
CAÓTICO, NO PRECIPÍCIO DO MAIS PROFUNDO ABISMO...
ENTÃO CAMINHEI... NÃO! FUI IMPULSIONADO!
MINHAS FORÇAS JÁ HAVIAM SUCUMBIDO...
TUDO QUE DEFENDI, APRENDI, LUTEI, TUDO SE DISSIPOU NAQUELE INSTANTE...
VOLTEI...
AO ADENTRAR NO RECINTO DO MEU LAR,
AS LÁGRIMAS CAIAM...
JUNTAMENTE COM A ÁGUA QUE ME LAVAVA,
SÓ RETIRAVA O QUE POR FORA EXISTIA,
SÓ PERMITIA ASSEAR O EXTERIOR...
MAS MEU CORAÇÃO SANGRAVA,
UMA ONDA ENORME DE TRISTEZA E TORMENTO PAIRAVA NA MINHA ALMA...
FUI AO MEU QUARTO...
DEITE-ME...
MEU TRAVESSEIRO PARECIA ROCHA PERFURANTE...
ATORDOAVA AINDA MAIS MEUS PENSAMENTOS INCONSTANTES...
ME PRECIPITEI...
NÃO HESITEI...
CAI...
CAI NO ABISMO DE TORMENTO,
NÃO CONSEGUIA DESCANSAR... 
E O TEMPO?
ESSE PARECIA ESTÁTICO! IMÓVEL! LENTIFICADO...
DIFERENTEMENTE DO MEU CORAÇÃO...
QUE SOLAPAVA, JUNTAMENTE COM MINHA MENTE...
DELIREI, TENTEI GRITAR MAS NÃO PUDE...
MAIS UMA VEZ AS LÁGRIMAS ESCOARAM DO MEU OLHAR...
AS CENAS INCONCEBÍVEIS DISTORCERAM MINHA VISÃO...
TUDO ISSO...
NAQUELA NOITE SOMBRIA...

Hugo Otávio
Data: 14/12/2010

dezembro 12, 2010

Se foi uma das belas vozes...




 Ao assisti à TV, pude relembrar do último adeus do tenor Pavarotti. Aprendi, ao ouvir suas canções, a gostar da bela e profunda música clássica. Para muitos é preciso ocluir os ouvidos de tanto barulho; porém, para mim, não há nada mais belo do que a sinfonia, juntamente com o maestro que guia entre os acordes da melodia, uma singela canção. Falecido por conta de um tumor de pâncreas, o mundo jamais esquecerá da canção " O Sole Mio",  famosa e entoada por tantos artistas. Contudo, é na maestria e preciosidade do tenor italiano Luciano Pavarotti que essa ficará eternamente registrada nos corações dos apreciadores dessa arte musical. 

Confiram-na abaixo, com os "3 grandes tenores": Plácido Domingo, José Carreras e Luciano Pavarotti!



dezembro 11, 2010

Ilusões do Amanhã

Esse poema foi escrito por um aluno da APAE, chamado pela sociedade de excepcional... Excepcional é a sua sensibilidade!
Ele tem 28 anos, com idade mental de 15 .

“Por que eu vivo procurando um motivo pra viver,
Se a vida às vezes parece de mim esquecer?
Procuro em todas, mas todas não são você.
Eu quero apenas viver, 
Se não for para mim que seja pra você.

Mas às vezes você parece me ignorar, 
Sem nem ao menos me olhar, me machucando pra valer.
Atrás dos meus sonhos eu vou correr.
Eu vou me achar, pra mais tarde em você me perder.

Se a vida dá presente pra cada um, o meu, cadê?
Será que esse mundo tem jeito?
Esse mundo cheio de preconceito.

Quando estou só, preso na minha solidão, 
Juntando pedaços de mim que caíam ao chão,
Juro que às vezes nem ao menos sei, quem sou, 
Talvez eu seja um tolo, que acredita num sonho.

Na procura de te esquecer, eu fiz brotar a flor.
Para carregar junto ao peito,
E crer que esse mundo ainda tem jeito.

E como príncipe sonhador...
Sou um tolo que acredita, ainda, no amor.”

PRINCIPE POETA (Alexandre Lemos – APAE)

[FILME] Encontro explosivo

Nada melhor para "relaxar" do que um filme de ação, repleto de aventura, suspense, romance e muita adrenalina! Esse é o tipo de filme que tiro como passatempo. E com dois personagens altamente competentes em seus papéis. 

Vale a pena conferir! 

Preparem as pipocas!


Vejam o trailler...

http://www.youtube.com/watch?v=l8HuraZi5MM

dezembro 10, 2010

Envelhecendo em 1 minuto!

video

Errei...


Errei...
Quando falei antes de pensar...
Errei...
Quando naufraguei no ódio e no sufoco da vida,
despejando e julgando quem eu, realmente, gosto...
Errei...
Quando angustiado, deprimido, confuso,
não compartilhei e, sufocado, hesitei em buscar auxílio...
Errei...
  Pela ignorância, incompreensão, em não dar ouvidos...
Errei...
Por julgar e não retirar a trave dos meus próprios olhos...
Errei... E agora?
Como recuperar o que se perdeu?
Como reerguer os muros da confiança?
Errei...
Pena que as águas que escorrem não limpam as minhas atitudes feitas,
indeléveis no tempo, espaço,
Meus pensamentos...
Errei...
E agora, Otávio?

Data: 10/12/2010

dezembro 09, 2010

As lições da derrota*


Perder é terrivelmente desconfortável. Isso nunca vai mudar. Admita, aceite, aprenda a conviver com os revezes da vida: ainda é o melhor a fazer.

Nunca existiu um ser humano, por mais articulado que seja, que não tenha experimentado uma derrota. Alguns, são fragorosamente derrotados a vida toda.

Quando sofrer uma derrota, seja valente, nunca pusilânime.

São as derrotas da vida que tornam as vitórias da vida tão saborosas.

Vive melhor quem aceita desde cedo que a vida é feita de alternâncias de vitórias e derrotas.

Os seres humanos inteligentes aprendem com suas próprias derrotas, os formidáveis sempre aprenderam muito com as derrotas dos outros.

Os seres humanos mais formidáveis nunca acharam que suas derrotas eram finais. Apenas, as entenderam como percalços na trajetória de suas vidas.

Perca, mas, por favor, perca com dignidade: Quem não sabe perder, não sabe ganhar. Assuma sua parcela de culpa sem inventar bodes expiatórios.

Quando perder, tente voltar à vida o mais rápido possível. Páre de ter peninha de você mesmo. Levante, sacuda a poeira e dê a volta por cima.

Perder não é vergonha. Vergonha é nunca ter tentado!

*Geraldo Magela

dezembro 07, 2010

[IMPACTO] Essa é uma homenagem à turma de cabelos brancos...

Um jovem muito arrogante, que estava assistindo a
um jogo de futebol, tomou para si a responsabilidade de explicar a um senhor já maduro, próximo dele, porque era impossível a alguém da velha geração entender esta geração.

"Vocês cresceram em um mundo diferente, um mundo
quase primitivo!", o estudante disse alto e claro de modo
que todos em volta pudessem ouvi-lo.

"Nós, os jovens de hoje, crescemos com Internet ,
celular , televisão, aviões a jato, viagens espaciais,
homens caminhando na Lua, nossas espaçonaves tendo visitado Marte.
Nós temos energia nuclear, carros elétricos e a
hidrogênio, computadores com grande capacidade de
processamento e ....," - fez uma pausa para tomar outro gole
de cerveja.

O senhor se aproveitou do intervalo do gole para
interromper a liturgia do estudante em sua ladainha e
disse:

- Você está certo, filho. Nós não tivemos essas coisas quando éramos jovens porque estávamos ocupados em inventá-las.
E você, um bostinha de merda arrogante dos dias de hoje, o que está fazendo para a próxima geração?

Foi aplaudido de pé ! 

(Recebi por e-mail)

dezembro 04, 2010

[FILME] Amor além da vida

Chris Nielsen (Robin Williams), Annie (Annabella Sciorra), sua esposa, e os filhos do casal fazem uma família feliz. 

De repente... (vejam o filme), hehehe...

Bastante interessente, repleto de flash e lembranças que se entremeiam e acabam dando um nó na mente daqueles que assistem hehehe... mas é bem interessante! Acho que o dono do blog Mente Hiperativa vai gostar, se não é que já viu... 

Abaixo um trailler...

;)

Hugo Otávio





dezembro 01, 2010

Minha oração pelo Brasil*

 SENHOR,

QUE A GENTE NÃO VENHA A SER UMA VENEZUELA, UMA CUBA, ONDE EXISTE SÓ UM PARTIDO POLÍTICO, NENHUMA LIBERDADE DE EXPRESSÃO, MUITA OPRESSÃO E UM DÉSPOTA TIRANO.

QUE O NOSSO QUERIDO BRASIL PRIME PELA LIBERDADE CRISTÃ, DIREITO DE PREGAR O EVANGELHO, O FALSO EVANGELHO OU EVANGELHO NENHUM. QUE NOSSO POVO SEJA VALENTE, NÃO PUSILÂNIME NEM MEDÍOCRE.

QUE TODAS AS AUTORIDADES PRIMEM PELO RESPEITO À CONSTITUIÇÃO, OS DIREITOS HUMANOS, OS DIREITOS DAS MINORIAS E OS DIREITOS DAS MAIORIAS, DESDE QUE A LIBERDADE DE OPINIÃO TAMBÉM SEJA RESPEITADA.

QUE NINGUÉM USE A DEMOCRACIA PARA ACABAR COM A DEMOCRACIA. 
PEÇO QUE OS NOSSOS LÍDERES AMEM AS NAÇÕES DEMOCRÁTICAS, COM ELAS SE RELACIONEM E TENHAM CORAGEM DE CLARAMENTE DISCORDAR DOS DITADORES DE QUALQUER NAÇÃO DO MUNDO INTEIRO.

QUE O BRASIL SEJA O CELEIRO DE MISSIONÁRIOS. QUE O BRASIL DERROTE A CORRUPÇÃO DOS QUE ENCASTELAM NO PODER, TIRANOS QUE SUGAM AS RESERVAS DA NAÇÃO.

QUE TODOS NÓS DESPERTEMOS PARA VER O MAL QUE ESTÃO FAZENDO AO ITAMARATI, ÀS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS, AOS PODERES DO PAÍS, POR CAUSA DE UMA POPULARIDADE GIGANTESCA.

QUE A GENTE POSSA IR E VIR, COMPRAR E VENDER, VER GENTE ENRIQUECENDO, FICANDO POBRE, TUDO DEPENDENDO DO MÉRITO E NÃO DE ESTAR FILIADO A UM DETERMINADO PARTIDO POLÍTICO.

QUE OS POLÍTICOS NOS DEIXEM EM PAZ PARA DECIDIR O QUE É MELHOR PARA NÓS E PARA NOSSA FAMÍLIA. QUE OS QUE DETÉM O PODER PÁREM DE BISBILHOTAR NOSSAS CONTAS CORRENTES, NOSSO IMPOSTO DE RENDA, NOSSOS TELEFONEMAS.

QUE EU POSSA DIZER QUE À LUZ DA BÍBLIA HOMOSSEXUALISMO E ABORTO SÃO PECADOS, SEM TER QUE PAGAR UMA MULTA TODA VEZ QUE DER MINHA OPINIÃO.

SENHOR, TEM MISERICÓRDIA DE NÓS EM TEMPOS TÃO CARENTES DE VERDADEIROS ESTADISTAS E POLÍTICOS HONESTOS. ABENÇOA-NOS.

MELHOR, SENHOR, TEM MISERICÓRDIA DE NOSSA NAÇÃO. 
PROMETO QUE NÃO VOU DESPERDIÇAR MEU VOTO, MAS ELE É APENAS UM VOTO.

CONTO CONTIGO PARA O MILAGRE DA MANUTENÇÃO DA DEMOCRACIA EM NOSSO QUERIDO BRASIL.

EM NOME DE JESUS CRISTO,

AMÉM!

Pr. Geraldo Magela

novembro 30, 2010

Mentira tem sim pernas curtas!

Quem não conhece a história do Pinóquio e do seu criador, Gepeto? Pois é... De tanto mentir, acabou parando dentro de um grande peixe, engolido pela multidão de mentiras! Pagou um enorme preço, mas no final das contas, aprendeu a lição.

E quantos de nós infelizmente não aprendemos a lição da vida? Uma mentirinha aqui, outra acolá, o que importa, não é? É preciso mentir às vezes... Será mesmo? 

Vivenciei diversas situações em que a mentira humilhou a face de grandes pessoas, podendo ser sim evitada! É através da mentira que muitos laços familiares foram destruídos, perdeu-se a confiança, alastrou-se a traição. Por meio dela, passamos a olhar com desdém para os indivíduos que a têm como sua bandeira.

Portanto, antes de ousar em mentir, analise as consequências. Lembre-se que a mentira tem sim pernas curtas! E, uma vez perdida a confiança de alguém por mentir, poderá ser tarde demais resgatá-la.

Ah se o nariz dos mentirosos crescecem como o do Pinóquio... Teríamos que viver nos esquivando para podermos nos locomover!

Pense nisso!

Hugo Otávio

Obs.: Uma poesia que encontrei navegando por aí...

 

 
Sabemos que ela tem perna curta,
E também é fácil de desmascarar.
Quem mente, da verdade se furta.
Se começa, não consegue parar !

Meia mentira é igual meio honesto,
Meia verdade é como meia ilusão.
Contra a mentira faço meu protesto.
Viver de mentira é pura perversão !

O mentiroso é o ladrão da verdade.
Cria na mente um mundo paralelo,
Privado de honestidade e lealdade.
Um Reino de Fantasia sem castelo !

O perigo da mentira não é o mentir,
Mas repeti-la até virar uma verdade.
Porque mentir pra si mesmo é fugir
Da vida e fingir a própria realidade !

extraído de: http://poesiaebomdemais.blogspot.com/2010/07/mentira_15.html

novembro 28, 2010

Amor Maiúsculo

Um homem de idade já bem avançada veio à Clínica onde trabalho, para fazer um curativo na mão ferida...

Estava apressado, dizendo-se atrasado para um compromisso, e enquanto o tratava perguntei-lhe qual o motivo da pressa. Ele me disse que precisava ir a um asilo de anciãos para, como sempre, tomar o café da manhã com sua mulher que estava internada lá.


Disse-me que ela já estava há algum tempo nesse lugar porque tinha um Alzheimer bastante avançado.


Enquanto acabava de fazer o curativo, perguntei-lhe se ela não se alarmaria pelo fato de ele estar chegando mais tarde.


- Não, ele disse. Ela já não sabe quem eu sou. Faz quase cinco anos que não me reconhece.


Estranhando, lhe perguntei:
- Mas se ela já não sabe quem o senhor é, porque essa necessidade de estar com ela todas as manhãs?


Ele sorriu e dando-me uma palmadinha na mão, disse:


- É . Ela não sabe quem eu sou, mas eu, contudo, sei muito bem quem é ela.


Meus olhos lacrimejaram enquanto ele saía e eu pensei: essa é a classe de amor que eu quero para a minha vida.


O verdadeiro amor não se reduz ao físico nem ao romântico.
O verdadeiro amor é a aceitação de tudo o que o outro é, do que foi, do que será e... do que já não é..."


(Desconheço o Autor)

novembro 27, 2010

Sentimento

Caminhar de manhã e não lembrar de ti 
Seria bem fácil dizer 
Seria mais fácil não crer 
Lembrar de seu cheiro 
É lembrar o quanto vivo em constante felicidade
Oh meu Deus como é bom!
Acordar sabendo pra quem dizer palavras lindas 
Acordar com uma saudade louca 
Esperar os minutos e os segundos passar 
Em um túnel que parece nunca ter fim 
O túnel do tempo...


Ah se eu pudesse controlar o tempo 
Colocaria meu relógio 

Somente em horários de te ver 
Pararia o tempo bem na hora que sinto o toque de seus lábios
Seus lábios...
Uma sensação única 
Inexplicável sentimento  
Um único momento em que o destino e as vidas se cruzam 
Junto com um abraço apertado vindo de dentro do coração 
Transportando todo carinho que sinto por ti...
Em uma sintonia que somente uma palavra pode se traduzir 
O amor!



Por: Cadú
http://cadumusic.blogspot.com/2010/08/sentimento.html

novembro 26, 2010

novembro 25, 2010

Fios do medo

 Por vezes caminho sobre os fios do medo,
Esse que dilacera meu coração,
Esse que me impede de prosseguir,
Esse que me dá calafrios quando me sinto incapaz...
Sigo caminhando, porém, inconstante, aflito,
Medo do medo,
Medo da angústia,
Medo de escorregar e não saber a profundeza do meu destino.

Será que o fio é resistente?
Quisera eu acreditar nessa fagulha aparente,
Essa que relampeja por fora,
Contudo,
Por dentro vibra,
Ressoa...
Incerta, incompetente, tristeza evidente,
Fios do medo...
Que transpassam minha mente...


Por: Hugo Otávio
Data: 25/11/2010


novembro 23, 2010

Auto-imagem

Ás vezes páro e miro minha própria imagem
 Impetuosamente surge a incerteza 
De estar onde estou

Sinto-me incapaz,
Como se aspirado fosse,
Para as profundezas dos meus pensamentos,
Incógnitas, controversas
Lamúrias e decepções
Narcísico torturador
O perfeito imperfeito
Sou...
Hugo Otávio
23/11/2010

novembro 20, 2010

Pensamentos

1. “Você vê coisas e pergunta: Por quê? Mas, eu, sonho coisas que nunca existiram e pergunto: Por que não?” - George Bernard Shaw.
2. “Mesmo as noites totalmente sem estrelas podem anunciar a aurora de uma grande realização.” - Martin Luther King
3. “O futuro interessa-me por ser o lugar onde vou passar o resto da minha vida.” - Woody Allen
4. “Otimismo é esperar pelo melhor. Confiança é saber lidar com o pior.” - Roberto Simonse
5. “As grandes realizações não são feitas por impulso, mas por uma soma de pequenas realizações.” Vincent Van Gogh
6. “A esperança é a paciência com a lâmpada acesa.” - Tertuliano
7. “Acredito que, em última análise, a função do líder é espalhar esperança.” - Bob Galvin
8. “A vitória pertence ao mais perseverante.” Napoleão Bonaparte
9. “A vida já complicada e cheia de contratempos. Conservar o bom humor é um segredo de sobrevivência.” - Autor Desconhecido
10 “A esperança adquire-se. Chega-se à esperança através da verdade, pagando o preço de repetidos esforços e de uma longa paciência. Para encontrar a esperança é necessário ir além do desespero. Quando chegamos ao fim da noite, encontramos a aurora.” - Georges Bernanos

novembro 19, 2010

O charme dos óculos escuros


Não há objeto simples e que pode de deixar mais atraente: os óculos escuros! Agora... tem que saber um que se adapte ao seu perfil de rosto. Não é todo tipo de óculos que cai bem!  Nunca gostei de usá-los, porém, com esses raios solares intensos, comecei a gostar de proteger meus olhos para que minha visão dure um pouco mais... Além de, ficar elegante, é claro! Tem de todo o tipo: grandes, pequenos, médios, exagerados, discretos... E, geralmente, a depender do indivíduo, cada um pode refletir um pouco de sua personalidade. Como se não bastasse, por trás dele o mundo pode não saber para onde você está olhando, hehehe...

Por isso... como diz o rei Roberto Carlos...
"Não tire esses óculos, use e abuse dos óculos..."




Gosto desse jeito discreto especial, por trás desses óculos que coisa mais sensual
Ar de executiva às vezes formal, beleza com um toque sexy intelectual
Seus óculos combinam até com seu cabelo, eu sinceramente gosto de qualquer modelo
Na verdade em você tudo fica bem, mas o charme desses óculos quem usa é que tem
Não tire esses óculos, use e abuse dos óculos
Olhares provocantes às vezes inocentes me dizem tantas coisa por detrás dessas lentes
Eu olho pra você e o meu pensamento voa mas pode acreditar eu só penso coisa boa
Olhar você de perto eu gosto muito mais com ou sem maquiagem pra mim tanto faz
Eu gosto desse beijo todo cheio de batom você nem tira os óculos e eu acho muito bom
Na tire esses óculos use e abuse dos óculos
Eu amo você e vou às alturas minha grande paixão, minha doce loucura
A gente se olha em certos momentos você ate parece que lê meus pensamentos
Que coisa bonita a gente se abraça se esquece de tudo e o tempo se passa
Você com seus óculos que charme que tem me enlouquece quando usa e quando tira também
Quadrados ou redondos, enfeitados, normais, pequenos ou grandes extravagantes demais.
Discretos, coloridos, pra mim tanto faz

Amor está na cara eu te amo demais
Não tire esses óculos, use e abuse dos óculos...





Por: Hugo Otávio
Data: 19/11/2010

novembro 17, 2010

Tornando-me tuas lágrimas

"Se eu pudesse ser uma parte de ti, escolheria ser tuas lágrimas. Porque tuas lágrimas são concebidas em teu coração, nascem em teus olhos, vivem em teu rosto, e morrem em teus lábios."

Desconheço o autor.

novembro 16, 2010

A dor de cabeça de Davi*

A dor de cabeça de Davi (conto)


Davi beijou as costas nuas da mulher deitada na cama. Apreciou o suave relevo do corpo que desejara há muito – e que só agora pudera ter. Não podia negar nem na hora do Juízo Final que aquela mulher o levara à loucura durante todo o último ano. Finalmente dormiu com ela. Gostaria de poder contar a todo mundo que bela conquista a sua. Deus me livre dessa história, um dia, ser conhecida, pensou. Ana ao toque dos lábios do amante, ronronou de prazer, se mexeu bem pouquinho, falando sem abrir a boca que estava acordada, que apreciou o carinho e que queria mais... Quanto mais, melhor. Davi, entretanto, não sentiu nenhum prazer agora. Sentiu um arrepio, como se uma descarga de alguns poucos volts percorresse devagarinho toda a sua espinha dorsal. Era medo. Vamos ser sinceros? Era o começo de um pavor que estava lhe dominando. Davi sabia que aquele primeiro encontro romântico poderia evoluir para um pequeno escândalo e depois para o fim de seu casamento. Desconfortável, se levantou da cama e foi tomar um banho. A água jorrava farta, morna e gostosa, mas o corpo e a mente de Davi estavam em brasas. Disse a si mesmo que na primeira oportunidade acabaria com o relacionamento. Afirmou para si mesmo que aquilo era uma insanidade, uma loucura de amor – gostoso, tinha de admitir – mas que não poderia prosperar. Esse seria o primeiro e o último encontro deles. Reafirmou o seu amor pela sua esposa e pelas suas filhas. Ela não poderia jamais saber nada dessa tarde inesquecível. Se ela sonhasse com isso, meu Deus! Quando passou pela cama, indo se vestir, Ana o acompanhou com os olhos. Ele sorriu, meio amarelo. Ana retribuiu com um sorriso de cumplicidade que só as mulheres seguras sabem dar e disse que gostou muito daquela tarde. Ele tornou a sorrir, dessa vez mais à vontade. Ana afirmou que não queria prejudicar sua família nem a dele e que Davi ficasse tranqüilo quanto ao segredo dos dois. Esse seria o segredo deles, de ninguém mais. Davi abraçou Ana e só não fez amor de novo porque seu medo de ser descoberto ali, àquelas horas da tarde, era maior que sua vontade de desalinhar ainda mais os lençóis. Só a muito custo vestiu as roupas, engomando tudo com as mãos. Percebeu, somente depois de ter calçado os sapatos, que as meias estavam viradas pelo averso.
- “Vou embora, já está tarde... Depois a gente se fala... Amanhã ou depois”. Ele sabia que acabara de dizer uma das três maiores mentiras de toda sua vida. Talvez até quisesse mesmo cumprir a promessa, mas estava aterrorizado demais com os possíveis desdobramentos daquela tarde. Ana era tudo que ele queria ter, mas representava tudo que ele não poderia ter (ademais, nunca confie em ninguém que usa tantas reticências numa única despedida). Beijou seu objeto de desejo pela última vez e, quando ia saindo, já com medo de ser flagrado, Ana sussurrou juntinho ao seu ouvido: - “Sei seu telefone, eu te ligo qualquer hora dessas!” Daria para ouvir de longe o baque do coração de Davi indo parar num dos dedões do pé. Ele, se não captou, deveria ter captado a mensagem que “o-segredo-daquela-tarde-seria-mantido-a-custa-de-mais-tardes-de-segredos”.

Ana, definitivamente, também estava no controle (observe como usou bem o ponto de exclamação, mesmo cochichando). Davi fez que sim, desconversou e foi para casa. No caminho, congratulou-se, a mente reprisando os trechos mais ardentes do encontro, e se repreendeu: ele era, afinal, um homem de família! Disse a si mesmo que não queria mais saber de Ana. Pronto, era o fim!Iria acabar o que nem começara direito assim que tivesse uma oportunidade. Não era justo continuar, era? Claro que não. A não ser que sua esposa morresse... Isso mesmo: quando sua esposa morrer poderá ter Ana para sempre ( desejável, ardente, fogosa) em seus braços. E se ela não morresse nunca? E se ele ou Ana morresse primeiro? Deu um soco no volante, irado consigo mesmo por ter cogitado a morte da mãe de seus filhos. Sou um patife mesmo, ponderou, com a mente exaurida. Quando chegou em casa, sua mulher tomou um susto: - “tão cedo em casa?! O que aconteceu?!” Davi cometera seu primeiro ato falho em anos: deveria ter voltado para o trabalho, não para casa. Respondeu que estava morrendo de dor de cabeça e perguntou se tinha um tylenol em algum lugar. A mulher deixou tudo e foi acudir o marido. Tinha visto um comprimido de paracetamol em alguma das gavetas na cozinha.

Geraldo Magela
*Surubim, 30 de janeiro de 2010.

novembro 12, 2010

O café de Lara


'Ele sentou na cadeira, segurando com mãos trêmulas uma xícara de café bem quente e se acomodou como pôde para ver o dia nascer. Havia enterrado Lara, aquela que fora sua esposa durante 65 anos, na manhã do dia anterior (Ou teria sido 55 anos? Um erro de dez anos era tão comum nos últimos anos quanto um erro de um ou dois não lhe era raro na juventude). Daqui a pouco o sol iria começar a romper a escuridão da madrugada. Sabia disso porque alguns pássaros começavam a cantar, aqui e ali. O café estava somente bom... Ele pensou, quando foi informado que a morte de Lara era a única certeza, que ia ficar com medo quando ela partisse. Talvez o medo de viver o resto da vida só viesse consumi-lo mais lá na frente. O que o inquietava agora era algo muito mais denso: um vazio tão palpável que parecia uma entidade sentada ao seu lado. Se se esforçasse um pouquinho daria até para bater um papo com "o nada", pensou. Tentou esquecer o vácuo, pensando no que foi sua vida com Lara. Lembrou da primeira vez que tomou suas mãos e as beijou. É incrível como essa lembrança involuntária produziu uma carga de emoções tão fortes quanto um nocaute. Por um momento sentiu o até cheiro do perfume que ela usou naquele encontro. Uma relíquia que ele imaginava perdida para sempre. Bebeu um grande gole do café, como se quisesse se afogar nele. Os olhos marejaram. Concluiu que o vazio que sentia era um companheiro muito pior que a solidão. Nunca mais iria confundir uma coisa com a outra. Deixou que a memória o levasse a outros momentos de seu passado, mas tomou o cuidado de não se ater demais em nenhum deles. Lembrou de quando deu a ela aquele absurdo de flores no primeiro aniversário de namoro, do horror da primeira casa onde moraram, do nascimento de dois de seus três filhos, da vontade que teve de esganá-la quando ela gritou com ele na frente dos amigos, dos filmes que assistiram juntos e... do café que ela sabia fazer como ninguém! 
 
O aroma do café de Lara bailou por uns bons segundos naquele terraço. Talvez o seu relacionamento de décadas tenha sido de fato amor. Sentiu isso porque até as lembranças que lhe deixavam fulo da vida com Lara apenas aumentaram o prazer daquele momento. Sentiu gratidão por ela ter cuidado dele por tantas décadas. De perto dava para se perceber um leve sorriso em seu rosto lacerado pelo tempo. Mas, muito de perto mesmo. Agora, os passarinhos cantavam numa formidável confusão. Nada lembrava uma sinfonia. Era um caos de pios, trinados, assovios, semi-gritos e estalidos. Ficou intrigado como os pardais empestaram o mundo: os ratos também venceram nos céus. A noite inapelavelmente estava sendo derrotada pelo dia. Dentro de doze horas lhe daria o troco. 


Um trabalhador passou, viu o velho sentado no terraço da casa e grunhiu uma saudação qualquer. Ele só levantou a mão, num aceno preguiçoso e, depois, tomou o último gole do café, que agora estava quase gelado. “Que porcaria...” Foi quando sentiu que mãos lhe tocavam nos ombros e um leve beijo pousou em sua face. A dona da voz postou-se por trás, as mãos suavemente pousadas em suas costas, depois de ter afetuosamente retirado a xícara das mãos dele. A jovem senhora ficou de pé, por trás dele, tentando imaginar os detalhes do que ele estava pensando e para onde cargas d’água ele estava olhando. Não precisou virar-se para ver quem era, a voz lhe soava familiar e querida: “O café estava bom, pai?” Respondeu que sim, muito bom. “De tarde eu tenho que voltar pra casa. Tem tanta coisa para fazer... O senhor vai ficar bem?” A voz em tudo lembrava a voz de Lara. Ele gostaria de ter gritado que sua filha ficasse em casa até ele próprio morrer, que aprendesse a fazer um café decente, que não estava sabendo lidar com todos esses fins que antecedem o fim, (mesmo tendo teorizado sobre cada um deles no passado), que estava morrendo de medo de virar um velho melancólico e chato. Mas respondeu que ficaria bem, que ela podia ir e agradeceu com sinceridade por ela ter ficado mais que os outros. "Deixe que eu levo a xícara pra lavar", disse, se levantando e retribuindo o beijo de bom-dia. "Sua mãe gostava de dizer que era a única coisa que eu sabia fazer para ajudar ela." Quando depositou a xícara na pia, lá fora já era dia feito.'
* Geraldo Magela - Surubim, 23 de janeiro de 2010.

novembro 11, 2010

Feridas da HIPERMODERNIDADE

depressao.jpg 
 
Vivemos num tempo em que os relógios não marcam mais...
Em que os dias passam ligeiramente e não voltam atrás
Época em que não há tempo para comer ou dormir
Não há tempo para ninguém se divertir
A violência nos põe medo de sair
A moda diz que todo mundo tem que fingir...
Que a beleza é a perfeição a qual ninguém pode atingir
 
O amor? Este sentimento empobrecido...
Quase ninguém quer amar...oh sentimento esquecido
A juventude desfruta o prazer que julga ser merecido
Iludindo pobres corpos errantes e sem sentido
 
Não há mais tempo a ser dedicado
Ao outro, por nós, tão desejado
Espera-se a perfeição de algo outrora idealizado
Quem se importa em querer cuidar quando melhor é ser cuidado?
Já caminham lá fora aqueles corações reciclados
Que como lixo à própria sorte foram lançados
 
Não se valoriza mais o sorriso da criança
E é louco quem quer preservar sua infância
Aquele que ainda precisa ter esperança
Que o agora poderá se tornar apenas uma triste e vaga lembrança
 
É nesse momento de tristeza
Que a dor se torna em certeza
Fomos esmagados por nós mesmos!
Numa tentativa de alcançar
Aquela felicidade egoísta, sadomasoquista...
Agora estamos perdidos e sem rumo
Sem saber ao certo como será nosso futuro
Carregando feridas as velhas sem cura
Por este caminho tão perverso e obscuro
 
Sim, estamos... tecnologicamente...mas estamos...
No tempo da incerteza, na época da desventura
Onde ser errado é ser certo
E o certo desfila por aí encapuzado de preto
Escondido com medo de ser pego
Pelas leis que enfeitam os papéis
E pelas palavras que fogem porque já perderam o seu valor
A paisagem se tornou cinzenta... já manchou a cor
É a hipermodernidade
Já sangram o desespero e a dor...
 
BRUNIELE SOUZA
10/11/2010