dezembro 16, 2010

Medicamentos? Só se extremamente necessários!

Não gosto de medicamentos! Nunca gostei! Apesar de ser amante da medicina, pretendo restringir o uso deles para casos realmente necessários e excepcionais. Acredito que o aumento no uso de tantos coloridos e diversificados deles advenha de uma qualidade de vida capenga, cambaleante, imediatista. Basta uma dor de cabeça e... se engole uma cápsula mágica! Mágica? Que nada... São inúmeros os constituintes que estão envolvidos na composição de determinada fórmula que percorrerá vários caminhos dentro do seu corpo, alterando o equilíbrio biofisicoquímico. Isso mesmo! E muitos deles, se tomados em excesso, poderá piorar ainda mais a situação pois reações adversas poderão surgir por conta dos maus usos dos medicamentos. Sem contar na grande resistência microbiana que tem surgido também pela exacerbação da ingesta de remédios e mais remédios. Se eu os uso? Claro que sim! Seria um mentiroso se dissesse que não. Se sempre? De jeito nenhum. É preciso moderação, assim como, manejo pleno aliado à uma boa qualidade de vida para que se possa desfrutar dela sem tornar-se um prisioneiro de cápsulas coloridas. Quanto menos usá-los, melhor! Porém, para toda regra existe exceção, é claro...

Por: Hugo Otávio
Data: 13/12/2010

3 comentários:

Mente Hiperativa disse...

Como tu vai curar sem o AUXÍLIO de remédios? Acaso tens algum poder oculto nas mãos? Curandeirismo? Charlatanismo?

Cuidado...

Não vejo problema em tomar remédio, vejo problema na AUTO-medicação. Acredito que se o paciente tomar os medicamentos indicados pelo médico, com seu acompanhamento e parar de usá-los quando ele mandar, não haverá problema algum.

É fácil dizer que é contra os medicamentos quando não se sofre de algum tipo de doença ou dor (física ou emocional).

Quem PRECISA do remédio REALMENTE sabe o quanto ele é útil.

Mônica Modesto disse...

A somatização de problemas do nosso dia-a-dia por vezes vem à tona no formato de alguma patologia no corpo, durante esse nosso pouco tempo na área estudantil médica tenho percebido isso.
Nos acompanhamentos dos PSF'S percebo que muitas vezes é comida o que falta, é alguém para ouvir um desabafo de um problema familiar, no trabalho... Devemos investir sempre mais no aumento da nossa percepção sensorial do que realmente está como carencia no paciente, e nem sempre, os remédios são suficientes para curar as dores da alma...

Bruniele disse...

Por isso que te disse qndo vc tava doentinho... só tome o remédio se persistirem os sintomas... Remédios demais é perigoso, principalmente sem ser sob prescrição médica...
gosto de tomar remédio tb naum...
Qndo eu era pequena (qr dizer, criança) dava um trabalhão pra tomar!
:P
arg...