dezembro 10, 2010

Errei...


Errei...
Quando falei antes de pensar...
Errei...
Quando naufraguei no ódio e no sufoco da vida,
despejando e julgando quem eu, realmente, gosto...
Errei...
Quando angustiado, deprimido, confuso,
não compartilhei e, sufocado, hesitei em buscar auxílio...
Errei...
  Pela ignorância, incompreensão, em não dar ouvidos...
Errei...
Por julgar e não retirar a trave dos meus próprios olhos...
Errei... E agora?
Como recuperar o que se perdeu?
Como reerguer os muros da confiança?
Errei...
Pena que as águas que escorrem não limpam as minhas atitudes feitas,
indeléveis no tempo, espaço,
Meus pensamentos...
Errei...
E agora, Otávio?

Data: 10/12/2010

2 comentários:

Mente Hiperativa disse...

É PRECISO MEDIR AS PALAVRAS ANTES DE FALAR. E SE COLOCAR NO LUGAR DO OUTRO, CHAMA-SE ALTRUÍSMO.

QUEM É CAPAZ DE MENSURAR O SOFRIMENTO DE OUTRA PESSOA? QUEM SABE PELO QUE ELA PASSA PRA ASSIM SE SENTIR NO DIREITO DE ZOMBAR DELA?

SE A PESSOA NÃO SABE MEDIR AS PALAVRAS E SE COLOCAR NO LUGAR DO OUTRO ENTÃO ELA NÃO FALA NADA, fica calada.

Bruniele disse...

Errar é nunca reconhecer o seu proprio erro...