fevereiro 26, 2010

Surubim e suas reminiscências...


Desde pequeno que não me agradava muito dessa cidade. Pequena, breve, sem muitas atrações... enfim, quase sempre íamos visitar nossos parentes, por parte de pai e, depois, voltávamos para casa. Era isso... e pronto! Não havia mais nada agradável para se fazer por aqui. No entanto, o "mundo dá voltas" e, certo tempo, meus pais se mudaram para cá, forjando um alicerce ainda maior com a cidade, tanto por ter sido terra natal, quanto por relembrar velhos tempos.

Atualmente, agradeço a Deus pelo que pude conquistar por aqui. Com o tempo, tornei-me membro de uma igreja abençoada a qual faço parte até hoje, expandi a minha lista de amigos e irmãos, firmei meu primeiro namoro, chorei, sorri, enfim, vivi.

Sempre tenho algo a fazer por aqui e, compartilhando, adoro tomar a sopa da Mão de Fada de feijão! Confesso que não existe outra igual, não sei se por ela ser realmente deliciosa ou por misturarem o sabor existente com o sabor da saudade que fico quando não a tomo. Não posso esquecer também do espetinho de carne de Carminha... pense! Após a sessão "mata fome", é hora de cuidar do meu cachorro Bento. Louco para sair, quando pego sua coleira, começa a dar saltos mortais, relutantes a fim de usar o seu faro por aí. Alegro-me muito com ele e tenho sempre que sair correndo pois sua vontade de fuçar os lugares por aí dispensam esforços... é correr e sai da frenteeeeeeeee! Outras vezes é hora de dar-lhe um banho frio pois o calor está escaldante por aqui. Começo a encher o balde com água e observando a "não vontade" dele de participar daquele evento hehehe... Mas, fazer o que... Molho 1 vez e outra, por trás das orelhas... percebo que no fundo, Benthoven adora um cafuné molhado com seu xampú. Acho que ele se sente num spa e, se pudesse, agradecer-me-ia com palavras, mas me satisfaço com seu olhar me encarando e... espera! Faltou secador! Pense num cachorro "bandoleiro", como diz minha mãe. É preciso secá-lo bem pois suas patas tremem de frio... Terminada essa parte, é soltá-lo e esperá-lo correr direto para porta a fim de sair... Mas não vai... Já saiu para passear, fique aí hehehe...

São pequenas atitudes assim que marcam um pouco das minhas férias e da minha fuga após semanas de aulas pesadas, cansativas e, diversas vezes, estressantes.

Curto cada momento pois sei que eles jamais voltarão!


De: Hugo Otávio
Data: 23/02/2010

[FILME] Substitutos


Num futuro no qual os homens vivem isolados e se comunicam por meio de robôs, dois agentes do FBI, investigam o assassinato misterioso de um estudante. O crime está ligado ao homem que ajudou a criar os Substitutos, cópias robóticas de seres humanos.

Para quem assitiu ao filme "AVATAR", achará o ambiente favorável à comunicação entre o homem e máquina.

O filme abordará questões de como a tecnologia poderá influenciar maciçamente no modo de vida das pessoas, tornando-as cada vez mais ilhadas e dependentes de máquinas para tudo que necessitam, a tal ponto de não mais vivenciarem "elas mesmas", suas próprias realidades.

No entanto, a despeito de AVATAR, o qual retrata a figura de um personagem principal deficiente das pernas, após adentrar na virtualidade, torna-se hábil e competente para a realização de qualquer atividade que venha a fazer uso delas.

Até que ponto vale a pena ter um substituto robótico? Será válido o uso de robôs para permitir ao ser humano, detentor de alguma deficiência física, a satisfação de viver "plenamente sua vida"? Não seria essa realidade virtual um escape da humanização em detrimento da robotização e exacerbação tecnólogica?

Terá uma máquina capacidade de expressar os sentimentos inerentes ao indivíduo "carnal"?

Assista ao filme e tire suas próprias conclusões.

Por: Hugo Otávio
Data: 26/02/2010

[FILME] Uma prova de amor


FILME NOTA 1O!


O que se pode fazer quando a filha de 5 anos de idade é diagnosticada com um raro tipo de leucemia?

O que fazer para provar seu amor por ela?

Seria uma prova de amor largar o trabalho e renunciar a própria vida somente para dar atenção exclusiva à filha?

Seria uma prova de amor gerar outra criança histocompatível que possa fornecer células sanguíneas e até órgãos como medula e rim?

Seria uma prova de amor comprometer compulsoriamente aqualidade de vida de um filho para manter o outro vivo?

Seria uma prova de amor aceitar que o fim certo é a morte, garantindo assim que os últimos dias da filha sejam os mais felizes possíveis?

O que seria uma verdadeira prova de amor?

Eu penso que prova de amor seja querer ver a outra pessoa feliz, e pra esse fim a gente faz o que for preciso, paga o preço que for.

Extraído de: [Mente Hiperativa]


Comentários Pessoais:

Não suportei segurar algumas lágrimas! Pense num filme pra nos fazer refletir no quanto o amor, por mais que sublime possa ser, tem a capacidade de sufocar o ser humano até o ponto de não conseguir mais ouvi-lo! Fiquei estarrecido com o filme! Tanto pela postura do médico, como da própria mãe! Realmente seria isso uma prova de amor? Amar além de ouvir o que o outro tem a nos dizer? Um amor surdo, mesmo com ambos os ouvidos em funcionamento! Talvez a incitação do médico para com a utilização de um outro filho histocompatível tenha influenciado o desespero da mãe em salvar a garotinha da leucemia. Mas, até que ponto podemos nos "apropriar" de um ser humano?
Gostei muito da atitude da garota Ana em lutar pelo seu "próprio corpo" quando este servia como instrumento de "reboque".

Porém, como lidar com o desespero de uma mãe?
São questões difíceis que se apresentam, contudo uma coisa é certa: a morte é inevitável!
Às vezes me questiono acerca de como terei forças para lidar com ela, pois sempre relutei contra a "frieza médica". Mesmo assim, penso que essa frieza poderia ser um escape do não envolvimento profundo com a vida do paciente a tal ponto de evitar posteriores angústias.
Apesar do triste fim, esse representa uma dura realidade pela qual um dia iremos enfrentar!

Sentidos pela partida...

São diversas as vezes que não percebemos o quanto as pessoas gostam da gente. Se por interesse ou não, acredito em corações sinceros, apesar de estarem se tornando raros em dias tenebrosos em que imperam o "toma-lá-dá-cá".

Nem sempre as pessoas expressam os seus sentimentos em relação a você quando presente, mas quando chega a hora de partir, ou o longo tempo de distância, as atitudes e algumas palavras soltas demonstram que valeu à pena conviver ao seu lado, desfrutar de pequenos, mas significantes momentos.


Sou grato, pois, mesmo sem perceber, noto que existem pessoas que gostam de mim e me valorizam pelo que sou e, não por aquilo que posso oferecer.

Para mim é essa a essência, a prova de que sua presença pode não ser notada, mas sua ausência, na maioria das vezes, é sentida.

Com o palito entre os dentes


Jó e Fabi abusando... :P

Por: Hugo Otávio
Data: 26/02/2010

fevereiro 25, 2010

[CHARGE DO DIA] Boletim Escolar





Triste realidade dos nossos jovens, em sua maioria, atualmente.
Confiram!
Caso não visualize, tente atualizar a página e verificar a existência do Flash Player na sua máquina.

Um vez perdida... dificilmente reconquistada!


Pois é... Pense em algo que leva tempo para ser conquistado! É necessário tempo, atitude e muito esforço para fortalecer os pilares da estrutura a ser formada. Confiança, atributo este altamente relevante, não apenas para um relacionamento amoroso, porém, importante para o desencadeamento de novas emoções e refúgio de uma alma humana.

Já tive, em meu rol de amizades, algumas pessoas a quem entreguei a posse de minha confiança. É como entregar a chave de sua própria casa, deixando-a nas mãos de alguém que você terá a certeza de que tudo estará da mesma forma como antes. Contudo, nem sempre na prática evidencia-se a teoria, principalmente aplicando-se à nossa vida. Muitas vezes, foge-se dos padrões e, é quando aparecem as decepções e frustrações da vida.

Sempre digo para aqueles a quem eu estimo ou que um dia estimei: "Nunca perca minha confiança! Uma vez perdida... dificilmente reconquistada!"
Dessa forma, algumas pessoas "desaparecerem" da minha lista de confiáveis. Isso porque, sem refletir sobre o sentimento alheio, agiram traindo ou assassinando aquilo que sempre plantei e defendi.

Amigo(a), aprenda a valorizar esse atributo na sua vida! Existem pessoas e pessoas as quais podemos ou não entregar essa forte chave chamada confiança. Assim, como há aqueles que confiam em você! Não jogue fora o que um dia, alguém te confiou!


Por: Hugo Otávio
Data: 25/02/2010

fevereiro 24, 2010

Amar é...


Quantas vezes amar na vida?
Impossível dizer
Amar é um verbo tão perfeito
Que não nos cansamos de conjugar

Amar significa entrega e retorno
Abandono e reencontro
Longos silêncios ou frases poéticas
Mãos entrelaçadas, vozes sussurradas

Lábios nos lábios
Toques, contatos
Amar é tão imenso quando frágil
É bolha de sabão solta no espaço
Que algum vento maldoso pode carregar

Amar é sem dúvida alguma, se dar
É a forma mais completa de se ofertar
E trilhar as mesmas sendas
É se encantar com as mesmas lendas
Romeu e Julieta, Paolo e Francesca

Amar é fazer troca de um mesmo sentimento
Tendo a certeza de que é único cada momento
e deve ser vivido sem queixumes ou lamentos

Amar é olhar juntos o amanhecer
com olhos no horizonte
É esperar que o céu enrubesça no entardecer
Ao aquecer os corpos amantes

Amar é se encantar com a malícia inocente
Que envolve a ternura de beijos roubados ou trocados
É compor corôas é desfolhar flores,
Espalhando-as pelo corpo do amado

Amar é cantar a vida, é louvar os sonhos
É descobrir que hoje é mais bonito do que ontem
porque agora temos alguém especial ao nosso lado

Amar é se perder no mundo...
a dois.

Desconheço o autor

fevereiro 23, 2010

Perdemos algo... que nunca foi nosso!


Durante nossas vidas sempre perdemos e ganhamos algo, seja de cunho material ou não. Perdemos muitas vezes "amigos", pessoas que estimamos muito, paixões, sentimentos, entre tantas outras coisas. E isso nos abala. É como se um grande vento tentasse arrastar uma casa, com toda sua fúria para jogá-la longe, bem distante. Surge um vazio, derivado da perda, pois é como estivéssemos adaptados, criado raízes sobre o "algo perdido". Dói e... como! Não é fácil se readaptar, contudo à medida que o tempo passa, adentramos em outros caminhos, passamos a perceber que se perdemos algo, talvez ele nunca tenha sido, de fato, nosso! Temos a mania de depositar eternidade naquilo que não o é. Pois bem... é por isso que acredito no "que seja eterno enquanto dure", porque mesmo a "eternidade" tem seu fim.

(In)felizmente, cabe a nós, construtores dos nossos caminhos, desfrutar da plenitude do viver, tendo a convicção de que o que é nosso não se perde assim, facilmente. Mesmo com a fúria do vento, pode até abalar, mas não vai desmoronar!

Se um dia perdemos... é porque nunca foi nosso!

De: Hugo Otávio
Data: 23/02/2010

Ver e não enxergar


Somos seres dotados de uma grande e complexa capacidade de visualização de imagens. É belo a forma como os raios luminosos, ao serem refletidos por qualquer superfície, forma a imagem ao passares por nosso globo ocular. Caso deseje mais informações, procure a Física para esclarecimentos. Mas, o que queria compartilhar é o fato de muitas vezes vermos algo, mas não enxergá-lo na sua integridade. Quantas vezes, em nossa vidinha diária, passamos, vemos mas não notamos o quão belo há na simplicidade das coisas. Passamos velozmente, ignoramos pessoas, descartamos extraordinárias paisagens por apenas VERMOS, limitadamente.

Com isso, perdemos a beleza maior, esta que não se esconde através das sutilezas, ou seja, transparece à medida que enxergamos juntamente com o nosso olhar interior, delineando as marcas (im)perceptíveis.

É preciso evidenciarmos os pequenos e grandes momentos que nos são apresentados, valorizando o todo, mas não esquecendo que aquele é formado de pequenas partes, tão importantes e, porque não afirmar, tão extraordinárias.

De: Hugo Otávio
Data: 23/02/2010

fevereiro 21, 2010

Amar: Verbo Intransitivo


Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida. Se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu. Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d'água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês. Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente divino - o amor. Se um dia tiverem que pedir perdão um ao outro por algum motivo e em troca receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um pro outro. Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura, que coisa maravilhosa: você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida. Se você conseguir, em pensamento, sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado... Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados... Se você não consegue trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite... Se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado... Se você tiver a certeza que vai ver a outra envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela... Se você preferir morrer, antes de ver a outra partindo : é o amor que chegou na sua vida. É uma dádiva. Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro... ou às vezes encontram e, por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o amor passar, sem deixa-lo acontecer verdadeiramente. É o livre-arbítrio. Por isso, preste atenção nos sinais - não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: o amor.

Drummond

fevereiro 20, 2010

Nem tudo é fácil...



Nem tudo é fácil...
Cecília Meireles


É difícil fazer alguém feliz,
Assim como é fácil fazer triste.

É difícil dizer eu te amo,
Assim como é fácil não dizer nada.

É difícil ser fiel,
Assim como é fácil se aventurar.

É difícil valorizar um amor,
Assim como é fácil perdê-lo para sempre.

É difícil agradecer por hoje,
Assim como é fácil viver mais um dia.

É difícil abrir os olhos e enxergar o que de bom a vida te deu,
Assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.

É difícil se convencer de que se é feliz,
Assim como é fácil achar que sempre falta algo.

É difícil fazer alguém sorrir,
Assim como é fácil fazer chorar.

É difícil se pôr no lugar de alguém,
Assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.

É difícil ver o trem partindo,
Assim como é fácil pedir para ficar quem quer te levar.

Se você errou,
Peça desculpas!
É difícil pedir perdão?
Mas quem disse que é fácil ser perdoado?

Se alguém errou com você,
Perdoa-o!
É difícil perdoar?
Mas quem disse que é fácil se arrepender?

Se você sente algo,
Diga!
É difícil se abrir?
Mas quem disse que é fácil
Encontrar alguém que queira escutar?

Se alguém reclama de você,
Ouça!
É difícil ouvir certas coisas?
Mas quem disse que é fácil ouvir você?

Se alguém te ama,
Ame-o!
É difícil se entregar?
Mas quem disse que é fácil ser feliz?

Nem tudo é fácil na vida,
Mas com certeza nada é impossível!

Precisamos acreditar, ter fé
E lutar para que não apenas sonhemos,
Mas também tornemos
Sonhos em realidade!

fevereiro 19, 2010

Santa paciência...

Tive a oportunidade de assistir ao programa chamdo SOLITÁRIOS, do começo ao fim. Confesso que fiquei entusiasmado com o objetivo de conquistar 50 mil reais em barras de ouro através de certas provas estimulantes da paciência e resistência humana. Tenho certeza que, se eu participasse desse programa seria o primeiro a desistir dele. Sinceramente, sou um indivíduo meio impaciente e não suportaria certas provas, como a de ficar dentro de uma caixa escura por 3h seguidas. De jeito nenhum! Admiro quem participa e tiro algumas lições para a vida desses acontecimentos.
O ser humano não foi criado para ficar aprisionado! Pelo contrário, a liberdade é algo inerente ao homem, seja física, mental ou quaisquer formas que o faça expressar o mais profundo dos sentimentos. É certo que, estar confinado naquela pequena sala é algo voluntário, mas o maior anseio dos participantes do jogo, apesar de ser o vencedor e desfrutar do prêmio, é ter a liberdade concretizada.
É fato que, em muitos momentos de nossas vidas, estar sozinho, reservado por instantes com os próprios pensamentos consiste em algo importante pois são oportunidades assim as quais nos moldam, fazendo-nos refletir acerca do mundo e de nós mesmos!
Porém, a extrapolação dos limites da solidão, ou seja, tornar-se "solitário" por longos tempos pode comprometer demais o convívio social, além do bem-estar do ser humano. Portanto, não se isole demasiadamente! A liberdade de viver é uma dádiva edificante e essencial para todos nós!

Por: Hugo Otávio
Data: 19/02/2010

fevereiro 18, 2010

[CONTO] Primeiro Amor

Eu não tinha mais nada o que fazer andando por aquele lugar movimentado, cheio de gente passando para todos os lados, estava sozinho. Foi estranho, aquele encontro inesperado com ela, no meio da multidão de pessoas passando. Fiquei meio nervoso não sabia o que fazer. Ela chegou devagar meio tímida, falou comigo, me cumprimentou. Respondi perguntei sobre ela. Disse que esperava por algumas amigas para se encontrar naquele lugar movimentado, perguntei se ela não queria se sentar naquele banquinho e ela aceitou. Sentei-me bem ao seu lado, tive receio de que ela se afasta-se de mim, mas pelo contrario ela virou-se em minha direção, não podíamos estar mais juntos. Sua voz era doce e melódica, sua pele macia e suave. Seu olhar calmo e penetrante. Meu coração batia com enorme força e velocidade de dentro do meu peito, suava frio, a boca estava seca, não sentia meus pés logo não sentia nada, aproximava-me dela cada vez mais hipnotizado minha mente estava fora do ar totalmente vazia. Toquei seus lábios, doces, com os meus. Uma sensação transcendental. Senti meu coração, parecia Ter explodido de tanta emoção com aquela sensação fenomenal, algo maior do que a maior de todas as bombas que se poderia imaginar ou a explosão de um vulcão em erupção. Durante um tempo um milésimo de segundo ou um milhão de anos, não sei, nada existia o mundo havia acabado e eu nem percebia. De repente minha mente parecia voltar a funcionar como engrenagens de um relógio que nunca pode parar. Um único pensamento passava pela minha cabeça: beijei... beijei.... beijei... pela primeira vez.... abri os olhos como quem acorda de um maravilhoso sonho e o mundo ainda estava lá, as pessoas andavam em todas as direções e ao fundo podia ou vir o barulho da multidão. Ela percebeu meu delírio e meu nervosismo momentâneo e com inigualável beleza e doçura sussurrou em meus ouvidos: "Relaxa !!!".Então percebi a fenomenal e inigualável sensação havia naquele ato de amor. Relaxei, voltamos a nos beijar e o mundo desapareceu novamente.

Autoria: Clayton da Cunha Oliveira

Obs.: Essa eu tenho que contar. Clayton ganhou em terceiro lugar na escolha do melhor conto para a realização do Sarau de Poesias no Instituto Nossa Senhora da Glória - Castelo - Macaé - RJ, realizado no ano de 2002 (se eu não me engano). Espero que ele não se importe se eu relembrar isso para nossos amigos hehehe... Valeu grande escritor! Tava vasculhando umas coisas e achei ele de novo... :P

fevereiro 17, 2010

Sem etiqueta, sem preço

A nota é internacional e diz, mais ou menos assim: Aquela poderia ser mais uma manhã como outra qualquer.
Eis que o sujeito desce na estação do metrô de Nova York, vestindo jeans, camiseta e boné.
Encosta-se próximo à entrada. Tira o violino da caixa e começa a tocar com entusiasmo para a multidão que passa por ali, bem na hora do rush matinal.
Mesmo assim, durante os 45 minutos em que tocou, foi praticamente ignorado pelos passantes.
Ninguém sabia, mas o músico era Joshua Bell, um dos maiores violinistas do mundo, executando peças musicais consagradas, num instrumento raríssimo, um Stradivarius de 1713, estimado em mais de 3 milhões de dólares.
Alguns dias antes, Bell havia tocado no Symphony Hall de Boston, onde os melhores lugares custaram a bagatela de mil dólares.
A experiência no metrô, gravada em vídeo, mostra homens e mulheres de andar ligeiro, copo de café na mão, celular no ouvido, crachá balançando no pescoço, indiferentes ao som do violino.
A iniciativa, realizada pelo jornal The Washington Post, era a de lançar um debate sobre valor, contexto e arte.
A conclusão é de que estamos acostumados a dar valor às coisas, quando estão num contexto.
Bell, no metrô, era uma obra de arte sem moldura. Um artefato de luxo sem etiqueta de grife.
Esse é mais um exemplo daquelas tantas situações que acontecem em nossas vidas, que são únicas, singulares e a que não damos importância, porque não vêm com a etiqueta de preço.
Afinal, o que tem valor real para nós, independentemente de marcas, preços e grifes?
É o que o mercado diz que podemos ter, sentir, vestir ou ser?
Será que os nossos sentimentos e a nossa apreciação de beleza são manipulados pelo mercado, pela mídia e pelas instituições que detêm o poder financeiro?
Será que estamos valorizando somente aquilo que está com etiqueta de preço?
Uma empresa de cartões de crédito vem investindo, há algum tempo, em propaganda onde, depois de mostrar vários itens, com seus respectivos preços, apresenta uma cena de afeto, de alegria e informa: Não tem preço.
E é isso que precisamos aprender a valorizar. Aquilo que não tem preço, porque não se compra.
Não se compra a amizade, o amor, a afeição. Não se compra carinho, dedicação, abraços e beijos.
Não se compra raio de sol, nem gotas de chuva.
A canção do vento que passa sibilando pelo tronco oco de uma árvore é grátis.
A criança que corre, espontânea, ao nosso encontro e se pendura em nosso pescoço, não tem preço.
O colar que ela faz, contornando-nos o pescoço com os braços não está à venda em nenhuma joalheria. E o calor que transmite dura o quanto durar a nossa lembrança.
* * *
O ar que respiramos, a brisa que embaraça nossos cabelos, o verde das árvores e o colorido das flores é nos dado por Deus, gratuitamente.
Pensemos nisso e aproveitemos mais tudo que está ao nosso alcance, sem preço, sem patente registrada, sem etiqueta de grife.
Usufruamos dos momentos de ternura que os amores nos ofertam, intensamente, entendendo que sempre a manifestação do afeto é única, extraordinária, especial.
Fiquemos mais atentos ao que nos cerca, sejamos gratos pelo que nos é ofertado e sejamos felizes, desde hoje, enquanto o dia nos sorri e o sol despeja luz em nosso coração apaixonado pela vida.

fevereiro 16, 2010

[HUMOR] A 4 fases da TPM



Fase 1 - a Fase Meiguinha

Tudo começa quando a mulher começa a ficar dengosa, grudentinha. Bom sinal?
Talvez, se não fosse mais do que o normal. Ela te abraça do nada, fala com aquela vozinha de criança e com todas as palavras no diminutivo. A fase começa chegar ao fim quando ela diz que esta com uma vontade absurdade comer chocolate. O que se segue, é uma mudança sutil desse comportamento, aparentemente inofensivo, para um temperamento um pouco mais depressivo.


Fase 2 - a Fase Sensível

Ela passa a se emocionar com qualquer coisa, desde uma pequena rachadura em forma de gatinho no azulejo em frente a privada, até uma reprise de um documentário sobre a vida e a morte tragica de Lady Di. Esse estágio atinge um nível crítico com uma pergunta que assombra todos os homens, desde os inexperientes até os mais descolados como o meu pai: "Você acha que eu estou gorda?" Notem que não é uma simples pergunta retórica. Reparem na entonação, na escolha das palavras. O uso simples do verbo "estou" ao invés da combinação "estou ficando", torna o efeito da pergunta muito mais explosiva do que possamos imaginar. E essa pergunta, meus amigos, é o começo da pior fase da TPM. Essa pergunta é a linha divisoria entre essa fase sensível da mulher para uma fase mais irritada.
Fase 3 - a Fase Explosiva

Essa é a fase mais perigosa da TPM. Há relatos de mulheres que cometeram verdadeiros genocídios nessa fase. Desconfio até que várias limpezas étnicas tenham sido comandadas por mulheres na TPM.
Exagero a parte, realmente essa é a pior fase do ciclo tepeêmico.
Você chega na casa dela, ela está de pijama, pantufas e descabelada.
A cara não é das melhores quando ela te dá um beijo bem rápido e seco.
Depois de alguns minutos de silêncio total da parte dela, você percebe que ela está assistindo aquele canal japonês que nem ela nem você sabem o nome. Parece ser uma novela ambientada na era feudal.
Sem legendas...

Entao, meio sem graça, sem saber se fez alguma coisa errada, você faz aquela famosa pergunta: "Tá tudo bem?" A resposta é um simples e seca: "Tá" sem olhar na sua cara.
Não satisfeito, você emenda um "Tem certeza?", que é respondido mais friamente com um rosnado baixo e cavernoso "teenhoo...".

Então, como somos legais e percebemos que ela não esta muito a fim de papo, deixamos quieto e passamos a tentar acompanhar o que Tanaka está tramando para tentar tirar Kazuke de Joshiro, o galão da novela que...

- Porcaria, viu!? - ela rosna de repente.
- Que foi?

A Fase Explosiva acaba de atingir o seu ápice com essa pergunta. Sem querer, acabamos de puxar o gatilho. O que se segue são esporros do tipo:



- Você não liga pra mim! Tá vendo que eu tô aqui quase chorando e você nem pergunta o que eu tenho! Mas claro! Você só sabe falar de você mesmo! Ah, o seu dia foi uma droga? O meu também! E nem por isso eu fico aqui me lamuriando com você! E pára de me olhar com essa cara! Essa que você faz, e você sabe que me irrita! Você não sabe! Aquele vestido que você me deu ficou apertado! Aaaai, eu fico looooouca quan o essas coisas me
acontecem! Você também, não quis ir comigo no shopping trocar essa droga! O pior de tudo é que hoje, quando estava indo para o trabalho, um motoqueiro mexeu comigo e você não fez nada!

Pra que serve esse seu Jiu Jitsu? Ah, você não estava comigo? Por que não estava comigo na hora? Tava com alguma vagabunda? Aquela sua colega de trabalho, só pode ser ela. E nem pra me trazer um chocolate! Cala sua boca! Sua voz me irrita! Aliás, vai embora antes que eu faça alguma besteira. Some da minha frente!

Desnorteado, você pede o pinico e vai embora.
Tenta dar um beijinho de boa noite e quase leva uma mordida.

Fase 4 - a Fase da Cólica
No dia seguinte o telefone toca.
É ela, com uma voz chorosa, dizendo que está com uma cólica absurda, de não conseguir nem andar.

Você vai até a casa dela e ela te recebe um doce, superamável. Faz uma cara de coitada, como se nada tivesse acontecido na noite anterior e te pede pra ir á farmacia comprar um Atroveran, Ponstan ou Buscopan pra acabar com a dor dela.

Você sai pra comprar o remédio meio aliviado, meio desconfiado.
"O que aconteceu?", você se pergunta.
"Tudo bem.", Você pensa.
"Acho que ela se livrou do encosto.",
Pronto! A paz reina novamente.

A cólica dobra (literalmente) a fera e vocês voltam a ser um casal feliz.
Pelo menos até daqui a 20 dias...

Finalizando...
Definições para TPM:
- Todos Problemas Misturados.
- Tendências a Pontapés e Murros.
- Temporada Proibida para Machos.
- Tô Puta Mesmo!
- Tocou, Perguntou, Morreu.
- Tire a Porcaria da Mão!
- Tente no Próximo Mês...
- Tô Pirada Mesmo!
- Tempo Para Meditação...
- Totalmente Pirada e Maluca
- Tendência Para Matar
- Tira as Patas, Moleque
- Tenha Paciência Meu.
- Toda Problemática no Momento.
- Total Paranóia Mental.


E, finalmente, LEMBRE-SE:

"TPM é aquela época do mês quando 'algumas mulheres' se comportam, por alguns dias, da maneira como 'grande parte dos homens', se comportam durante TODO o ano."

Ser feliz


Gostaria que você sempre se lembrasse
De que ser Feliz não é ter o céu sem tempestades,
Caminhos sem acidentes,
Trabalhos sem fadigas,
Relacionamentos sem decepções.

É encontrar forças no perdão,
Esperanças nas batalhas,
Segurança no palco do medo,
Amor nos desencontros da vida.

Não é apenas valorizar o sorriso,
Mas refletir sobre a tristeza.

Não é apenas comemorar o sucesso,
Mas aprender lições nos fracassos.

Não é apenas ter júbilo nos aplausos,
Mas encontrar alegria no anonimato.

É reconhecer que vale a pena viver a vida,
Apesar de todos os desafios, incompreensões
E períodos de crise.

Não é uma fatalidade de destino,
Mas uma conquista de quem sabe viajar
Para dentro do seu próprio ser.

É deixar de ser vítima dos problemas
E se tornar um autor da própria história.

É atravessar desertos fora de si,
Mas ser capaz de encontrar um oásis
No recôndito da sua alma.

É agradecer a Deus a cada manhã,
Pelo milagre da vida.

É não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.

É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma "crítica",
Mesmo que injusta.

É beijar os filhos, curtir os pais
E ter momentos poéticos com os amigos.

É deixar viver a criança livre,
Alegre e simples que mora dentro de cada um de nós.

É ter maturidade para falar "EU ERREI".
É ter ousadia para dizer "ME PERDOE".
É ter sensibilidade para expressar "EU PRECISO DE VOCÊ".
É ter capacidade de dizer "EU TE AMO".

Desejo que a vida se torne um canteiro
De oportunidades para você Ser Feliz!
Que nas suas primaveras, você seja Amante da alegria.

Que nos seus invernos,
Você seja amigo da sabedoria.
E quando você errar o caminho,
Recomece tudo de novo ...

Pois assim você será cada vez mais Apaixonado pela vida.
E descobrirá que...

Não é ter uma vida perfeita .
Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância ...
Usar as perdas para refinar a paciência ...
Usar as falhas para esculpir a serenidade .
Usar a dor para lapidar o prazer ...
Usar os obstáculos para abrir
As janelas da inteligência ...
Jamais desista de si mesmo;

Jamais desista das pessoas que você ama;
Jamais desista de Ser Feliz,

Pois a vida é um espetáculo imperdível ...
E você é um Ser Humano Especial!

Augusto Cury

Ser feliz ou alegre?


Conheço muitas pessoas que desconhecem a real diferença entre felicidade e alegria. Ouço comentários frequentes como: "Estou feliz hoje!"; "Sou muito alegre!"; "Felicidade dura pouco...". Discordo de como essas expressões tem sido usadas. Gostaria de compartilhar com vocês, amigos leitores, mostrando que há uma singela diferença, sim, entre elas.

Primeiro, felicidade consiste em uma gama de sentimentos e sensações que envolvem o ser humano. Posso até ser categórico em afirmar que você pode ou não ser feliz mas, engana-se ao estar feliz. A gente não está feliz. Ou se é ou não é. A felicidade não depende das circunstâncias para materializar-se em sua vida. De jeito nenhum! Entristeço-me quando percebo que muitos a colocam sempre no futuro, tão distante.

Dizem: "Serei feliz quando for aprovado no vestibular". Acaba o vestibular e a ambição aumenta. Não se alcançou a felicidade, mas esta agora foi transportada mais à frente.

"Não, agora serei feliz quando me formar...". O tempo passa e o indivíduo adianta ainda mais a felicidade, criando um ciclo vicioso, sem fim, sem perceber que a felicidade não depente restritamente desses fatores.

nfim, para mim, felicidade encontra-se nas pequenas coisas... até mesmo na tristeza! Como? Será que li corretamente? Podemos ser feliz na tristeza? Mas é claro! Tristezas sempre aparecem no nosso caminho, mas não representam o fim da felicidade. Aqui evidencio a diferença. A tristeza combate a alegria, esta sim um estado momentâneo, repleto de um sentimento interior que pode ou não depender do que está ao nosso redor, das pessoas que nos cercam as quais podem nos desanimar, da adrenalina que sentimos ao praticar esportes radicais ou situações inusitadas.

Pois é... apesar de tudo que vivi e continuo vivendo, posso taxativamente afirmar que sou feliz, podendo ou não estar "feliz"! Tenho momentos de alegrias e tristezas, passando por montanhas e vales, mas estou certo que não há felicidade maior do que entregar meus anseios nas mãos de Deus, sabendo que Ele cuida de mim! Não há felicidade maior!

Acho que estou alegre hoje hehehe... Abração para vocês!

Por: Hugo Otávio
Data: 16/02/2010

fevereiro 15, 2010

As sem-razões do amor


Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabe sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque te amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Carlos Drummond de Andrade

fevereiro 13, 2010

Não extrapole em criar expectativas em ninguém

Sempre fico atento quando alguém exagera em criar expectativas sobre determinado assunto, seja filme, música, livro, curso... Ouço frases como: "É muito bom! Foi ótimo! Você não pode perder!". Gosto, quando posso, tirar minhas próprias conclusões e não ouvir veementemente a opinião dos outros. Pois bem. Escrevo isto pois emprestaram-me um filme e fizeram um monte de citações boas a respeito! Tanto, tanto e tanto que no final... não achei nada demais! O filme não despertou muito daquilo que me disseram.
Entendo que, às vezes, gostamos bastante de algo que desejamos que o próximo também desfrute da mesma alegria. Mas, atenção! Não extrapole em criar expectativas! Elas podem, no final, ser frustrantes!

Por: Hugo Otávio
Data: 13/02/2010

fevereiro 12, 2010

Urgência de viver



A matemática da vida é simples.
Cada soma é também uma subtração.
Quando somamos mais um ano àqueles que já vivemos,
subtraímos um ano daqueles que nos restam para viver,
e aí, percebemos que o tempo voa e a vida passa.
Nesse momento, sentimos urgência de viver.
Mas a verdade é que esperamos demais para fazer
o que precisa ser feito, num mundo que só nos dá
um dia de cada vez, sem nenhuma garantia do amanhã.
Enquanto lamentamos que a vida é curta,
agimos como se tivéssemos à nossa disposição
um estoque inesgotável de tempo.
Esperamos demais para dizer palavras de perdão
que devem ser ditas, para pôr de lado os rancores
que devem ser expulsos, para expressar gratidão,
para dar ânimo, para oferecer consolo.
Esperamos demais para sermos generosos, deixando
que a demora diminua a alegria de doar espontaneamente.
Esperamos demais para irmos atrás da nossa felicidade,
de dizermos - te amo - sem medo de fazer loucuras e sem ter vergonha.
Esperamos demais nos bastidores,
quando a vida tem um papel para desempenharmos no palco.
Deus também está esperando...
Esperando pararmos de esperar.
Esperando começarmos a fazer agora
aquilo para o qual este dia e esta vida nos foram dados.
É hora de viver!!!

MORRE LENTAMENTE

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o escuro ao invés do claro e os pontos sobre os "is" em detrimento de um redemoinho de emoções justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante.

Morre lentamente, quem abandona um projeto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe. Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar.

Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade."

Pablo Neruda

fevereiro 11, 2010

Ventos que surgem...


"Os ventos que as vezes tiram algo que amamos,
São os mesmos que nos trazem algo que aprendemos a amar.
Por isso não devemos chorar pelo que nos foi tirado,
e sim aprender a amar o que nos foi dado.
Pois tudo aquilo que é realmente nosso
nunca se vai para sempre."

(Spiritusnet).


"Guie-me por seus caminhos, caso contrário, me perderei neles"


Hugo Otávio

Sistema Operacional do Casamento

Prezado técnico,

Há um ano e meio troquei o programa [Noiva 1.0] pelo [Esposa 1.0] e verifiquei que o Programa gerou um aplicativo inesperado chamado
[Bebê.exe] que ocupa muito espaço no HD.

Por outro lado, o [Esposa 1.0] se auto-instala em todos os outros programas e é carregado automaticamente assim que eu abro qualquer
aplicativo.



Aplicativos como [Cerveja_Com_ A_Turma 0.3], [Noite_De_Farra 2.5] ou [Domingo_De_ Futebol 2.8],
não funcionam mais, e o sistema trava assim que eu tento carrega-lo novamente.


Além disso, de tempos em tempos um executável oculto (vírus) chamado [Sogra Trojan] aparece, encerrando Abruptamente a execuções de um
comando.


Não consigo desinstalar este programa. Também não consigo diminuir o espaço ocupado pelo [Esposa 1.0] quando estou rodando meus aplicativos
preferidos.

Sem falar também que o programa [Sexo 5.1] sumiu do HD.

Eu gostaria de voltar ao programa que eu usava antes, o [Noiva 1.0],
mas o comando [Uninstall.exe] não funciona adequadamente.


Poderia ajudar-me? Por favor!

Ass: Usuário Arrependido


RESPOSTA:

Prezado Usuário,

Sua queixa é muito comum entre os usuários, mas é devido, na maioria das vezes, a um erro básico de conceito: muitos usuários migram de
qualquer versão [Noiva 1.0] para [Esposa 1.0] com a falsa idéia de que
se trata de um aplicativo de entretenimento e utilitário.


Entretanto, o [Esposa 1.0] é muito mais do que isso:
É um sistema operacional completo, criado para controlar todo o sistema!


É quase impossível desinstalar [Esposa 1.0] e voltar para uma versão [Noiva 1.0] porque há aplicativos criados pelo [Esposa 1.0] como o
[Filhos.dll] , que não poderiam ser deletados, também ocupam muito
espaço, e não rodam sem o [Esposa 1.0].

É impossível desinstalar, deletar ou esvaziar os arquivos dos programas depois de instalados. Você não pode voltar ao [Noiva 1.0]
porque [Esposa 1.0] não foi programado para isso.


Alguns usuários tentaram formatar todo o sistema para em seguida instalar a [Noiva Plus] ou o [Esposa 2.0], mas passaram a ter mais
problemas do que antes (leia os capítulos. Cuidados Gerais referente a
Pensões Alimentícias e Guarda das crianças do software [CASAMENTO].


Uma das melhores soluções é o comando [DESCULPAR.EXE /flores/all] assim que aparecer o menor problema ou se travar o micro.... Evite o
uso excessivo da tecla [ESC] (escapar).
Para melhorar a rentabilidade do [Esposa 1.0] aconselho o uso de
[Flores 5.1], [Férias_No_Caribe 3.2] ou [Jóias 3.3].

Os resultados são bem interessantes!

Mas nunca instale [Secretária_De_ Minissaia 3.3], [Antiga_Namorada 2.6] ou [Turma_Do_Chopp 4.6], pois não funcionam depois de ter sido
instalado o [Esposa 1.0] e podem causar problemas irreparáveis no
sistema.

Com relação ao programa [Sexo 5.1] esquece! Esse roda quando quer.

Se você tivesse procurado o suporte técnico antes de instalar o [Esposa 1.0] a orientação seria: NUNCA INSTALE O [Esposa 1.0] sem ter
a certeza de que É capaz de usá-lo!


Agora.... Boa sorte!