fevereiro 19, 2011

Tempo

TEMPO

Tempo que se vai e não vem
É o mesmo tempo em que o nada é tudo
E o tudo de vez em quando é o nada de ninguém
Tempo veloz que nunca espera
Tempo que pára o tempo
E parece nunca mais chegar
Quer passar como um vento
Sem ter tempo pra parar

Tempo que foge e se entrega
Tempo que tudo de mim leva
Não se vá para tão longe,
Longo tempo a minha espera!
Às vezes, pareces tão injusto
Às vezes, em plena entrega

Tempo que trouxe o sonho
Tempo da realidade
Tempo para ser criança
E haja tempo para deixar de sê-la
Tempo que deixa a vida viver
Tempo que deixou a vida morrer
É o mesmo tempo que chora
Mas ao mesmo tempo sorri
O tempo que me fez ir embora
É o mesmo tempo que não me deixa partir
Bruniele Souza
19/02/2011

3 comentários: