outubro 23, 2010

Não é fácil viver!




Não é fácil viver!
Sair de um ambiente estéril, temperatura agradável, aconchegado à mãe é algo assustador.
Primeiro, sendo impulsionado para um mundo desconhecido; depois, frio, com luzes brancas e um montão de gente em volta trajando roupas verdes esquisitas e de máscaras!

Depois da expulsão, pois é, EXPULSÃO! Como se não bastasse ser lançado, é hora de sacudir o corpinho. Mexe pra cá, mexe pra lá, injeção de vitamina K na coxa, abre os olhos... tá difícil? Força um pouco... Derrama um pouco de nitrato de prata... Tá sem respirar? Vamos aspirar pelas pequenas e frágeis narinas possíveis excretas senão ele fica asfixiado. Hora de medir. Deita sobre um toalha verde (acho que se lembrássemos desse evento teríamos traumas da cor verde, ou branca...), segura a cabeça e encosta os pés para vermos a estatura... E o peso? Também... Depois desses e outros eventos, se estiver com um bom estado geral, coradinho, tudo examinado, hora de conhecer a mamãe que tanto sofreu para que ele pudesse ter vida.

Bem, essa é a realidade de alguns plantões que estou tendo a oportunidade de participar. Vale a pena refletir o quanto é saboroso viver! Fico a pensar como as pessoas desperdiçam muito o bem valioso que possuem: a vida! 

São situações assim que quando paramos para analisar, percebemos o quanto somos privilegiados, assim como, temos a certeza de que a vida já é difícil lá no comecinho, quando percorremos as páginas de nossa história.

E ainda muita coisa estar por vir...

Por: Hugo Otávio
Data: 23/10/2010

Um comentário:

Bruniele disse...

Ah que lindooooo
A vida é fantástica não é?
Segundo a psicanálise, a experiência do nascimento é a mais traumática vivenciada pelo ser humano, embora não lembremos disso... As marcas permanecem inconscientes...Viver não é facil, entretanto somos dotados de uma capacidade de resiliência incrível que nos ajuda a superar os traumas e esquecê-los de maneira surpreendente! Tudo o que temos que fazer é o mínimo...acreditar em Deus e em nós mesmos e nunca deixar de sonhar...