outubro 14, 2010

Urgência emocional


EXCELENTE reflexão de Martha Medeiros que reflete os valores da sociedade contemporânea no amor, conferindo-lhe um caráter de urgência desesperadora:
Se tudo é para ontem, se a vida engata uma primeira e sai em disparada, se não há mais tempo para paradas estratégicas, caímos fatalmente no vício de querer que os amores sejam igualmente resolvidos num átimo de segundo. Temos pressa para ouvir "EU TE AMO". Não vemos a hora de que fiquem estabelecidas as regras de convívio: Somos namorados, ficantes, casados, amantes?
Urgência emocional. Uma cilada. Associamos diversas palavras ao AMOR: Paixão, Romance, Sexo, Adrenalina, Palpitação. Esquecemos, no entanto, da palavra que viabiliza esse sentimento: "Paciência".

Amor sem paciência não vinga. Amor não pode ser mastigado e engolido com emergência, com fome desesperada. É preciso degustar cada pedacinho do Amor, no que ele tem de amargo e de saboroso, no que ele tem de duro e de macio. Os nervos do Amor, as gorduras do Amor, as proteínas do amor, as propriedades todas que ele tem. É uma refeição que pode durar uma vida.

Mas, não. Temos urgência. Queremos a resposta do e-mail ainda hoje, queremos que o telefone toque sem parar, queremos que ele se apaixone assim que souber nosso nome, queremos que ela se renda logo após o primeiro beijo, e não toleraremos recusas, e não respeitaremos dúvidas, e não abriremos espaço na agenda para esperar.

Temos todo o tempo do mundo, dizem uns; Não há tempo a perder, dizem outros: A gente fica perdido no meio deste fogo cruzado, atingidos por informações várias, vivências diversas, parece que todos sabem mais do que nós, pobres de nós, que só queremos uma coisa nessa vida, "Sermos Amados".

Podemos esperar por todo o resto: emprego, dinheiro, sucesso, mas não passaremos mais um dia sequer sozinhos. "Te adoro", dizemos sei lá pra quem... Para quem tiver ouvidos e souber responder. "Eu também", que a gente está mais a fim de acreditar do que de selecionar."Urgência Emocional", PRONTO-SOCORRO DO AMOR... Atiramos para todos os lados e somos baleados por qualquer um.

E o coração leva um monte de pontos por causa dessa tragédia: "PRESSA".
Extraído de:

2 comentários:

Mente Hiperativa disse...

rsrs

Bruniele disse...

Gostei bastante do texto Senna!
Bem pensado sua argumentação...
Também concordo com vc, vivemos numa época em que há URGÊNCIA NO AMOR...
Mas acredito que essa urgência seja devido à grande carência de Amor que temos hoje.Entretanto, as pessoas não sabem como encontrá-lo, estão correndo como loucas desenfreadas, se entregando às aventuras de uma paixão vã... Também pelo fato de termos tudo na velocidade de um "clic"... Não se tem mais paciência para ler um jornal, estamos como máquinas frias, sem sentido...Uma sociedade esquizofrenizante...Infelizmente...
Não há mais espaço para o amor verdadeiro, o diálogo, o carinho... Tudo se resume a sexo, prazer...Pouco importa o outro.