março 02, 2010

Marcas passadas...


Nunca pensei que alguém pudesse sofrer por mim...
Sejam familiares, amigos, amigas, pessoas memoráveis...
Talvez, para elas, momentos ficaram eternizados...
Também para mim...
Um gesto, algo que porventura fosse naquele instante,
Naquele exato segundo...
Registrado...

O sorriso transpareceu o sublime do ser...

Quisera eu que a "eternidade" do tempo fosse bloqueada...
Como se o poro de uma ampulheta fosse interrompido,
Cessando o fluxo dos pequenos grãos...

Mas a dinâmica das nossas vidas não é assim...
A ampulheta está ativa e não espera por nada, nem ninguém...
Velozmente ultrapassa até o outro compartimento...

Restam apenas as reminiscências do passado...
E algumas raras imagens fotográficas...
Registro-as como artefato,
Do meu baú das recordações...
Possivelmente esquecerei o nome de alguns...
No entanto, o semblante jamais se apagará do meu coração.
Cultivá-lo-ei,
Assim como um jardineiro cuida de sua plantação...
E, após fitá-los, seja em fotografias ou esforço mental...
Exclamarei...

VALEU A PENA!
Pois nossa vida bem vivida dá-nos alegria e fartura de felicidade!


Por: Hugo Otávio
Data: 28/02/2010

Um comentário:

Bruniele disse...

amei esse texto!!
Me fez lembrar o que Sheakespeare sempre fala num texto que ele diz quem um dia a gent aprende! A gent aprende que o temop não vai parar para que recolhamos os caquinhos que ficaram do nosso coração! O tempo nunca espera que a gent se regenere para prosseguir! Ele, ao crontrário do que se diz, não cura! Ele é cruel, e exige de nós que olhemos para frente, ou então...ficaremos presos a um passado eternamente, sem conseguir alcançar a felicidade