julho 02, 2010

Lembranças de um Verão


"Por que sempre esperamos que nossa casa nunca mude? Tudo muda.
Engraçado, quando se é criança, um dia dura uma eternidade.
Agora, todos aqueles anos parecem um piscar de olhos."

"O passado, sempre que ele quer, pode chegar derrubando a sua porta.
E você nunca sabe para onde ele vai te levar.
Você só pode esperar que seja para um lugar aonde queira ir."



Gosto do Anthony Hopkins. Para mim, uma das melhores atuações nos mais diversos papéis. Depois de "Hannibal", tornei-me fã, por seu tom misterioso, sombrio e inesperado nos diversos filmes. Em "Lembranças de um Verão", Robert Garfield é um fotógrafo de meia idade que após a morte de um amigo passa a relembrar seu passado, mais especificamente o verão que passou quando tinha apenas 11 anos. Foi uma época marcada pela amizade com Carol e Sully e também pela chegada de um novo vizinho, Ted Brautigan.

Robert já era órfão de pai naquela época e vivia com sua mãe, sendo que a memória de seu pai se apagava cada vez mais graças à amargura de sua mãe. Entretanto, é com a amizade e atenção de Ted que Robert passa a ter uma outra visão de seu falecido pai bem como as possibilidades que a vida lhe oferecia na época.

O filme traz uma lembrança aos tempos antigos, o que me fez vê o meu presente em um futuro, aquele tornando-se passado. Uma retrospectiva, ao ver o personagem Robert, retornando para sua casa após longos anos depois. E como as coisas mudaram, hein? Achei interessante pois já fiz isso, retornar, por caminhos onde um dia andei. É algo "embaraçoso", diria. Muitos pensamentos ressurgem, bons ou maus, tristes ou altamente excitantes. Como a frase acima, "o passado pode chegar derrubando a porta", tudo depende de como o enxergamos.

É bem verdade que... marcas como essas ficarão... como lembranças de um verão inesquecível!

Por: Hugo Otávio
Data: 03/07/2010

Um comentário:

Bruniele disse...

Que lindo!!
Deve ser emocionante esse filme!
É imprescindível viver o presente resignificando o passado e construindo o futuro. Jamais se pode apagar o passado de uma história, seja ele bom o ruim...Também não se pode disfarçar a situação presente, tapar o sol com a peneira, tratar tudo com leviandade...Jamais se deve prosseguir para um futuro onde a incerteza habita, onde a desesperança é sua companheira de viagem...
VIVER é unir passado, presente e futuro numa gostosa aventura, onde o protagonista é o melhor de todos VOCÊ