janeiro 22, 2010

Indiferença nossa de cada dia





Grande edifícios...
Muitas diversidades...
De informações, de pessoas, de diferenças...
As avenidas?
Parecem infinitas, delineando o contorno carioca...
A riqueza floresce, restringindo e sufocando...
A dinâmica dos conglomerados, pobres, segregados...
E nós?
Estamos vivendo...
Na nossa...
Mascarando e fazendo de conta...
De que tudo está bem...
Enquanto estivermos bem..


E quando não for mais possível?
E quando a violência atingir nossa casa, família...
Me atingir...
Te atingir...


Talvez assim acordemos para contemplar a realidade
Para saber que sempre haverá algum sofrimento maior
Maior do que o meu...
Maior do que o seu...
Maior do que a...
Indiferença...
Essa nossa de cada dia...
Essa que possui mesa farta e 
Ainda reclama do que comer...


Enquanto tantos, NADA possuem...
Nada...
Nad...
Na...
N...
...


Data: 22-01-2010
Por: Hugo Otávio

2 comentários:

Mônica Modesto disse...

Devemos sempre valorizar o simples e o humilde porque os grandes feitos sempre vem de onde menos se espera... Não é preciso ser grandioso para se tornar especial... Beijos

Bruniele disse...

Nossa!!mto bom!!!!
Reflexão e tanto!
Realmente, precisamos pensar mais no outro. Não podemos ser apenas expectadores do hoje, temos que ser agentes transformadores da nossa realidade!